Problemas domésticos e nerdices

31 de julho de 2007

Pica Pau - Os Parentes

O segundo melhor vídeo do Pica-pau!
"Um mergulhinho, eu disse um mergulhinho!"
"Vou queimar tudo: meu banco de jacarandá, meu ioiô de cerejeira..."

Mônica, a Ermitã

Estou só, sem ninguém
Não faz mal, eu sou feliz assim
Afinal, tudo bem
Vou subir bem alto e ser alguém

Vou
Subindo de mansinho pra
Não machucar as flores,
Nem espantar os bichinhos

Vou subindo
Vou subindo
Pode o sol se pôr!
Pode chover!
Mesmo que o vento sopre forte,
Eu sou mais forte,
Eu sou mais eu
E vou subindo...

Resolvi procurar
Quem me queira do jeito que eu sou
Descobri que não tem
Quem seja feliz sem ter alguém

Viva!

Não existe bicho ou fera que resista
À amizade bem sincera.
Com muito amor dentro mim,
Vou subindo
Vou subindo

La la la
La la la
La lala lala
La la lala la!


La la la
La la la
La lala lala
La la lala la!

(em As Aventuras da Turma da Mônica, 1982)

25 de julho de 2007

Comédia Stand Up

Estou feliz pra caramba. Finalmente começaram a aparecer shows de stand up em São Paulo. Não sei quando foi que eu comecei a achar stand up legal. Deve ter sido quando comecei a ver SNL ou Seinfeld. Antes, eu nem sabia que existia.

Faz algum tempo, inventaram o Clube da Comédia. Começou num bar ali no Itaim, mudou para o Avenida Club, se não me engano, e agora está no Bleeker Street, na Vila Madalena. O local é ótimo, tem um clima bom, tamanho quase certo. Só não é mais certo porque fica simplesmente lotado na noite do Clube.

São quatro humoristas que estão sempre por lá (ou quase sempre), e um apresentador, Marcelo Mansfield. As piadas dele nem sempre são boas, mas quando são também, é de matar de rir. Já o cast regular tem três pessoas excelentes e uma que beira o insuportável. Mas, nada é perfeito, né? Vale a pena ver, anyway. Já fui duas vezes e só não vou mais porque é caríssimo.

Agora descobri que o Rafinha, um dos regulars do Clube e infame dono da quase finada Página do Rafinha (veja o clipe de Festa no Apê, é fenomenal), tem seu próprio show. Ele está toda sexta e sábado às 23h59 no teatro do Crowne Plaza, na Frei Caneca. E o melhor: aceita carteirinha de estudante. Comédia é cultura, sem dúvida.

Se você gosta de Seinfeld, de SNL, do Woody Allen, ou simplesmente gosta de rir de coisas realmente engraçadas e que não envolvem gente com a língua colada num poste gelado ou tendo o prepúcio preso num zíper, vale a pena aparecer lá.

23 de julho de 2007

Tirinhas excelentes

Cuidado, podem conter alguns spoilers.

Tira do Séries

É incrível!

Hoje eu estou cheia de coisas na cabeça, e quero colocá-las por escrito.

What do you say, is life up for grabs? Are we entering that uncomfortable space where I cannot set foot without hurting you? Are you letting me do it?

Nem sei de onde veio isso. Eu tava com o termo "up for grabs" na cabeça e aí deu nisso. Agora ele saiu da minha cabeça, não dura muito nada que eu faça, após isso. Deu três boas frases.

Eu continuo lendo Achewood e Xkcd regularmente. Mas parei com PVP e Penny Arcade. Nunca lembro.

22 de julho de 2007

Woody Allen

Se Woody Allen se candidatasse a presidente do mundo, eu votava. Ninguém tem uma visão mais pessimista e derrotista da vida do que ele. Isso certamente ajuda quando você está tentando achar uma saída pra tudo. Woody Allen é o homem certo para o trabalho.

Além disso, a vida dele já é uma zona escancarada. Quem poderia colocar abaixo um governo com um escândalo quando todos os escândalos são de conhecimento do mundo inteiro (ou ao menos da parte do mundo que se importa)?


Por isso eu digo: Woody Allen para presidente do mundo. Sua vida pode não melhorar, mas certamente os discursos presidenciais serão bem mais interessantes.

Busy bee

Esse final de semana foi bem animado!

Primeiro, um freela legal, rapidinho, divertido, dá até pra dizer que foi um trabalho relaxante, se é que existe tal coisa.

Depois, almoço na casa da mãe, porque não tem coisa melhor do que comer comida de verdade, ao lado de gente legal. Mesmo tendo ido o caminho todo sentada, e o ônibus tendo vindo rapidinho, eu sinto muita falta do meu carro.

Depois de voltar da casa dos meus pais, eu assisti dois filmes excelentes: Stewie Griffin's Untold Story, que não é bem um filme, mas sim uma mistureba de grandes momentos do Stewie, e A Vida de Brian, que eu comprei em DVD.

Eu ando numa neura de comprar DVDs, simplesmente não consigo parar. Vejo uma promoção, tenho que comprar. Uma listinha das últimas aquisições:

- Curtindo a Vida Adoidado
- Monty Python e o Cálice Sagrado (versão dupla!)
- M*A*S*H, 1a temporada
- Jogos de Guerra
- Zelig
- Manhattan
- Harry e Sally

Tem mais coisas que eu gostaria de comprar, mas eu me restrinjo a títulos em promoção. Senão minha conta bancária viraria um caos.

Mais passeios:

- Festival do Japão - todos os nipônicos e fãs de estavam no Centro de Exposições Imigrantes neste domingo. A fila do estacionamento começava do lado oposto da Imigrantes, no acesso. A fila da bilheteria ocupava todo um galpão de uns 400m2. A fila do yakissoba virava a esquina da barraquinha. Mas apesar da galera, as comidas eram excelentes, eu descobri que Shima Uta é uma música tradicional de Okinawa e aprendi a escrever vários kanjis com aquele pincel japonês. Ainda vi muita tranqueira 25 de março por preços exorbitantes, porcarias do 1406 (alguém ainda lembra o que é isso?), um jardinzinho meia-boca com morangos de plástico e encontrei vários amigos. Foi ótimo!

- Shopping - eu ando num shopaholicismo e a Bibi não faz nada pra ajudar. Fomos ao Paulista, porque eu queria uma calça. Comprei a calça, sim, mas comprei também duas blusas, duas camisetas e uma saia. E a Bibi, que agora é feliz dona de um Clio, não comprou nada porque ela tem parcelas de financiamento para pagar. Está mais do que certa. Eu sou uma pessoa sem bens materiais desde que vendi o Twingo. Eu agora gasto todo o dinheiro da gasolina e do seguro em roupas. Quase como parar de fumar e gastar todo o dinheiro do cigarro em bebida. Mas eu sou feliz.

17 de julho de 2007

Yoga, meditação e outros Oms

Eu não sou muito espiritual, muito menos religiosa. Mas eu ando muito ligada em yoga e meditação. Mais porque eu preciso esvaziar minha cabeça do que por qualquer outra coisa.

Yoga coloca a gente em posições absurdas, fazendo com que você fique totalmente focada em manter seus membros no lugar certo. Depois que você consegue manter seus membros onde eles devem ficar, aí você começa a pensar na dor que está sentindo. E, eventualmente, quando a dor passa, aí sim você começa a pensar na vida. Mas até chegar nesse ponto, você já pensou tanto no sacrifício que está fazendo, que você consegue colocar tudo em perspectiva e não surtar com as coisas cretinas que ocorrem no dia-a-dia. Ela também tem um quê de conexão com o universo. Você passa a fazer parte de um universo onde celebridades como Sting e Madonna habitam e se empenham. Sempre me faz sentir bem saber saber que eu não sou a única pessoa sofrendo no mundo.

Já a meditação é mais profundo. Nada melhor para restabelecer suas energias do que sentar num tapetinho e imaginar uma floresta com o seu guia espiritual levando você pelas alamedas. Você pode imaginar qualquer floresta. Minha última era igualzinha ao último filme do Senhor dos Anéis. Meu guia espiritual era o Gollum e ele me disse que eu deveria ir em busca daquilo que eu achava precioso. Ele também disse que era um anel, mas eu acho que ele está errado. Vamos ver se amanhã eu pego alguém melhor como guia. Espero que o Aragorn esteja disponível.