Problemas domésticos e nerdices

10 de outubro de 2007

Redescoberta

Quando eu seguia essa carreira mágica de jornalista de Internet, meu nome estava no Google facinho. Claro, quando você assina artigos constantemente, você tá sujeita ao crawleamento dos sites de busca.

Eu também tive uma época de blogueira com following, numa época em que blog ainda era algo com glamour e sem ganhar dinheiro postando sobre a Vanessa Hudgens ou disponibilizando CDs pra download. Ah, a época dos blogs com conteúdo! Tempos áureos.

Ou não. Praticamente todo o conteúdo era lixo.

Mas enfim, com isso, meu nome ficou gravado na web pra sempre. E embora já exista até uma maldita loja de sapatos bregas com meu nome, eu ainda ganho no quesito quantidade de links. Há!

O melhor não foi encontrar os links pelos quais eu sou culpada, mas sim os links que estão relacionados comigo mas dos quais eu nem sabia.

Por exemplo: alguém gostou de um conto meu.

A Secretaria de Turismo de Sergipe noticiou a notícia que seria publicada.

Outra pessoa falou coisas adoráveis sobre um post do meu antigo blog, o Sakura no Hana.

Já essa pessoa acha que eu sou anti-semita. (Dá um Ctrl+F por Laura Prado, é mais fácil)

A Polícia de Goiás gostou da minha explicação sobre O Dia das Mães.


Além disso, você sempre pode achar um sem número de entries enciclopédicas sobre seriados, filmes, etc, no Almaque da Folha Online; reportagens para crianças na Folhinha Online; e turismo no Especial de Verão de 2003... Ah, o verão de 2003!

Depois de tudo isso, só tem uma coisa que eu posso dizer: eu me acho. E você também pode me achar na web, mas eu já mastiguei tudinho pra você, querido leitor.

Nenhum comentário: