Problemas domésticos e nerdices

9 de novembro de 2007

Tente isso em casa

Primeiro, só queria compartilhar que agora eu estou usando só Linux! Passei por cima da partição do Windows com um tratorzinho chamado Ubuntu. E não tive mais problemas deste então. Antes eu estava que não conseguia abrir o browser e o Music IP ao mesmo tempo. Inviável.

Agora tudo flui.

Mas voltando no tempo, eu passei muitas horas aqui na frente do computador recentemente, só fazendo backup num HD externo, tentando fazer o Windows entender que eu TINHA um HD externo plugado (PQP!) e, finalmente, instalando o Ubuntu. Eu já usei o SuSe e o Slackware antes, mas o Ubuntu é muito mais fofo. Embora os ícones do SuSe fossem adoráveis por causa da iguaninha.

Anyway, voltando, eu estive na frente do computador pra caramba, em casa. Não que eu já não faça isso regularmente, mas essa semana foi especial. Daí que, por conta disso, de ter que ficar várias horas vendo uma barra de progresso acontecer, eu me dei conta de que não gostava da mesa do computador. É uma dessas mesas estilo dormitório Bartira, que tem maleiro no topo, mesa no meio com prateleirinhas e espaço pra CPU do lado direito. Mas é de ótima qualidade, porque eu tenho desde 1998, acho, e tá aqui, firme e forte. Mas é feia.

Pensei "droga, eu me esforço tanto pra ter uma casa que eu gosto e o móvel onde eu passo mais tempo é feio.", daí eu também pensei em como eu não queria gastar mais dinheiro em decoração, porque já gastei mais do que devia deixando essa casa habitável. E também, eu já tinha me decidido que daqui pra frente eu iria tentar decorar usando coisas que tivessem significado pra mim: lembranças de uma viagem, meus bichinhos de pelúcia, tecidos. Porra, eu sou a rainha de guardar tranqueira, não é possível que não tivesse com quê decorar.

A idéia eu tirei da casa-escola do meu professor de yoga, que nas paredes tem dezenas de coisinhas que ele e a mulher dele trouxeram. Tem desde quadrinhos da Índia (eles amam a Índia, mas não têm site, senão eu colocava o link) até a hélice do avião que o pai dela pilotou. Isso sim é decoração, não comprar enfeites da Tok & Stok.

Não sabia o que fazer, mas queria fazer algo. Colar fotos, sei lá. Mas aí me deu um estalo mágico: eu adoro música, adoro letras de música. Aí eu comecei a escrever letras de músicas loucamente em todos os cantos da mesa. O resultado você pode ver nas fotos. E todos os dias, quando eu ouço um trecho que eu gosto, eu escrevo.


Dou um doce pra quem identificar três músicas!

E, no fim, ficou mais pessoal e me deixa mais feliz do que um quadro de um porquinho abóbora comprado na Etna conseguiria.

Às vezes eu escrevo o trecho errado, erro na ordem das palavras, mas o sentido ainda funciona. Não gosto de fazer isso porque é poesia, funciona de uma certa forma. Do contrário, é só uma frase.

Algumas das coisas que eu já anotei e você pode ver na foto:

"I am just a soul whose intentions are good" - Santa Esmeralda

"Rasque as minhas cartas e não me procure mais" - Leno e Lillian


Eu sou muito seletiva com as coisas que eu escrevo. Pra mim, todas têm significado. Mas eu entendo que podem parecer sem sentido.

Nenhum comentário: