Problemas domésticos e nerdices

31 de janeiro de 2008

Fotos com a nova camera


Glasses, originally uploaded by lorisgirl.

Conforme informado anteriormente, segue foto tirada com a camera nova. Eu ainda estou penando com ela. Mas estou relembrando todas coisas que o Zanetti ensinou na faculdade.

Quando se segue as regras da vida

Eu sou fã de manuais. Comprei uma linda camera nova (Pentax K10d) e, claro, antes de qualquer operaçao mais elaborada (claro que tirei uma foto assim que abri a caixa!), eu li o manual de cabo a rabo.

Primeiro, porque eu tou me cagando de medo de estragar esse investimento. Porque camera de 1500 reais nao é so uma camera, é um investimento. Segundo, porque toda a ideia de comprar uma reflex digital se baseia em querer tirar fotos melhores. E tirar fotos melhores, nesse caso, se baseia em usar os recursos que a camera disponibiliza. A outra camera ja nao dava mais conta do recado, ou leia-se, da criatividade exarcebada que eu tenho.

Mas uma coisa era certa ate segunda-feira passada. Eu nunca tinha lido as instruçoes do frasco de condicionador.

Ok, talvez eu ja tivesse lido, mas nunca levei a serio.



Eu sempre reclamei do meu cabelo. Sempre a velha historia: quem tem cabelo liso quer cacheados, quem tem cacheados, quer lisos. E quem tem cabelo dificil sonha com um produto que resolva todos os problemas do universo. Nao sou diferente.

Eu tenho um historico muito complexo com condicionadores. Ate uns dois anos atras, eu achava que condicionador era desnecessario, que deixava o cabelo pesado e gosmento. Meu negocio eram os leave-in, pos-banho, sem enxague, fazedores de cachos.

Meu cabelo sempre ficou ou palha ou gosmento.

Ha uns dois anos eu resolvi que usar condicionador era na verdade uma ajuda ao meu cabelo. Comecei a usar, em conjunto com o leave-in. Tudo em quantidades extremamente parcimoniosas. Tinha medo absoluto de melar meu cabelo e parecer que nao lavei nada. Entao meu cabelo virava cabelo de milho, de tao seco.

E, com isso tudo, eu passei muito tempo pulando de hidrataçao para hidrataçao, gastando os tubos no cabeleireiro, tentando deixar meus cabelitos sedosos como os de comercial. E nada adiantava 100%. Fazia uma hdirataçao, mas duas lavagens depois, meu cabelo voltava a ser uma caca dificil de cuidar.

Um dia, comprei o tal Elseve Volume Control. Ele promete 18h de hidrataçao e cabelo no lugar. Comprei o shampoo e o leave-in.

Nao sei se voce esta esperando um comercial nesse ponto da historia, mas a verdade é que nao adiantou de nada. Foi so mais um shampoo que eu gastei dinheiro com.

Vai dai que, um certo dia, ha nao mais que uma semana (calma, o apice da historia ja vem), eu resolvi, em nome da ecologia e da economia de recursos naturais, fazer algo que nunca tinha feito: desligar a agua enquanto lavava o cabelo.

Eu tomo banho de maneira muito regrada, para que dure o minimo possivel: entro, molho o cabelo, passo shampoo, tiro shampoo. Passo condicionador e enquanto ele age, eu tomo o banho propriamente dito. Cinco minutos para todo o processo e mais dois pra tirar o condicionador.

Nesse dia abençoado em que resolvi desligar o chuveiro, eu demorei mais que o normal. Como a agua estava desligada, nao me senti culpada de passar mais alguns minutos no chuveiro, lavando o corpo com sabonete, depois passando oleo hidratante, toda essa historia magia e perfumada. Com isso, o condicionador ficou no cabelo os tres minutos proverbiais.

Quando sai do banho e sequei o cabelo, processo regular de passar hidratante no corpo, leave-in no cabelo, make-up and all, notei que estava facinho de pentear. E isso nao é pouca coisa quando se tem um cabelo como o meu. Fui embora.

Sai na rua, cabelos ao vento, o que é sempre um grande desastre pra mim. Cheguei no trabalho, cachos formando. Secou-se o cabelo e a grande surpresa: cabelos no lugar, cachos lisinhos (a compreensao do que sao cachos lisos so é possivel para quem tem cabelo cacheado)!

Passada, sem entender, so achei que era um good hair day. Fiquei na boa.

Dia seguinte, mesmo processo, mesmo cabelo. Dia proximo, processo de urgencia, cabelo antigo.

Como Arquimedes na banheira, eu no meu chuveiro, no dia seguinte, gritei comigo mesma. "Eureka! O condicionador!"

Claro, é obvio, dirao alguns. Pra mim, passava longe do obvio. Nunca achei que condicionador resolvesse nada.

Agora, eu ando com os cabelos ao vento, cacheados e esvoaçantes, fazendo inveja em quem tem cabelo liso, sem ficar falando "ah, mas eu queria mesmo era ter cabelo como o seu...". Se eu falar isso, hoje, é por educaçao. Amo meu cabelo.

E tudo porque eu SEGUI AS INSTRUÇOES DA EMBALAGEM.

Consulte sempre o manual de instruçoes.

28 de janeiro de 2008

Estou apaixonada e agora eh serio

Comprei uma camera nova. Uma Pentax K10D. Estou completamente apaixonada por ela. Vou sumir do convivio com os amigos, vou ignorar festas pra ficar com ela. Vou passar finais de semana me divertindo em casa ate aprender a mexer direitinho. Depois ela vai quebrar e eu vou perceber que existem outras coisas na vida e que esse tempo todo eu estive ignorando todas as outras coisas a minha volta. Mas ate la, eu vou ficar com ela.

Goooodnight, everybody!

19 de janeiro de 2008

Yamandu Costa biônico

Fui ao show do Yamandú Costa com o Hamilton de Holanda. Os dois tocam muito. Simplesmente inegável a química que existe entre eles, e como eles conseguem se comunicar sem trocar uma palavra. E são ambos mestres, virtuosos sem serem patéticos como o Malmsteen.

Quando o Yamandu toca, fica difícil ver as mãos dele. Rápido demais. Ele movimenta as mãos do mesmo modo que o Super-Homem uma vez voou em volta da Terra para parar o tempo. Se eles continuassem tocando, tenho certeza de que tudo começaria a acontecer mais devagar até que tudo pararia e nos seriamos jogados pra fora do globo pela inércia.

Mas uma coisa que me veio a cabeça quando estava assistindo foi o seguinte: ele tem um controle absurdo sobre onde os dedos dele devem ir pra fazer uma música bonita e tocar milhões de notas ao mesmo tempo. Ele consegue guardar centenas de melodias completas na cabeça. Ele não tinha partitura, nada. Só saía tocando. Basicamente, o cérebro dele e as mãos estão em total e irrestrita sintonia.

Continuando o raciocínio, e se, e apenas e se, existisse um gênio violonista como ele, um cara sensacional, mas que perdesse a mão num acidente. Triste e tal, mas e blá, existindo tecnologias pra criar novos dedos, será que ele conseguiria imprimir a mesma emoção, técnica e qualidade na música?

Será que seria como tocar com a mão de outra pessoa? Ou como comandar um computador a fazer algo? Por mais que seu cérebro seja o controlador dos impulsos da prótese, quão fidedigno será o impulso do cérebro quando chegar ao fim do caminho?

Um computador pode jogar xadrez e ganhar de um mestre. Um computador pode se tornar um virtuoso da música? Pode improvisar, fazer uma jam com um outro músico? Isso já nada tem a ver com os dedos biônicos não. Fico pensando na sintonia entre o Yamandú e o Hamilton. Pode um computador ser programado tão sofisticadamente que ele perceba intenções num olhar, para poder jammear?

Incrível tudo isso que a tecnologia já pode fazer hoje pela humanidade, e mais incrível ainda e o quanto ainda existe para ser feito. Supondo que será feito, claro. Mas algumas coisas são melhores como mistérios da vida. Não quero que descubram como ser genial em algo apenas acoplando uma máquina. Não quero viver na Matrix.

18 de janeiro de 2008

Happy Song Hit Parade

Uma contagem regressiva das cinco músicas mais animadas da minha lista! Seriam dez, mas já é 1h40 da manhã!


5. And Your Bird Can Sing - Beatles
Do Revolver, um dos meus favoritos. Essa musica dá vontade de pular. Simplesmente sair pulando pela casa e falando "And your bird can swing!"

4. Touchy! - A-Ha
Eu lembro de quando fomos na Bilbox do shopping Morumbi, a única loja que tinha CDs na cidade, na época, comprar nosso primeiro CD. Sim, porque o primeiro CD das crianças da família teve que ser coletivo pra acontecer. Não era o tipo de coisa que se comprava barato. "Stay on These Roads" foi uma opção com que todos concordavam. E Touchy foi a razão pra comprar o disco!

3. Lição de Baião - Adriana Partimpim
Impossível não ficar mexendo os ombros no ônibus nessa música. Que delícia que é o trecho em que se fala


Apprenez la leçon
Dansez le baion
Allons-y dansons
Ah! Que c’est bon!
Afinal, o seu Renato, professor, ja vai chegar pra lhe explicar.

2. Katamari on the Swing - Matsuzaki Shigeru
Eu só joguei Katamari Damaci umas duas vezes na vida e achei adorável. Uma amiga me mandou as trilhas sonoras. Essa música e do disco We Love Katamari. Tem um pa-pa-ri-ra-pa-pa irresistível! Pra não dançar, só sendo um robô malvado.

1. Walking on Sunshine - Katrina and the Waves (foto)

Indiscutivelmente a música mais alegre do universo. Você precisa imediatamente sair andando pelas ruas de São Paulo cumprimentando estranhos e rodopiando ao redor de postes quando essa música toca. E obrigatório.

15 de janeiro de 2008

O desaparecimento

Ele era um mago. Ele podia desaparecer sempre que preciso. Ele conseguia fazer dezenas de pessoas não o verem ao mesmo tempo, sem desaparecer para outros milhares de pessoas.

Um dia, saindo do escritório, onde ele praticava magia de alto nível, ele percebeu que as pessoas não haviam deixado de ver sua pessoa. Elas tinham decidido esquecer a existência do mago. Se ele não queria ser encontrado, então elas também não iriam procurar.

Excelente também quando colocado no Google Translator

8 de janeiro de 2008

Novo disco do Magnetic Fields - Distortion

Ouvindo, ainda nao em loop. Mas as letras, como sempre, falam da tristeza infinita do amor nao correspondido ou de coracoes partidos, como eh bem esperado do Stephin Merrit. Sensacional e simplissimo o refrao de "Too Drunk to Dream".

"I got to get
Too drunk to dream
Because dreaming
Only makes me blue

I got to get
Too drunk to dream
Because I always
Dream of you"

Ou algo assim. A Internet ainda nao replicou em centenas de sites as letras do disco novo e eu nao vou dar rewind (alguem da rewind em mp3?) para descobrir as palavras exatas. Os sentimentos eh que contam.

O Jens Lekman que sabe bem.

7 de janeiro de 2008

James - Just Like Fred Astaire

Meteors may strike the earth
Nations live and die
I'm the boy who got the girl
Who showed me how to fly
We can cross the race divide
Bridge a gap that wasn't really there
I'm gonna hold her in my charm
Just like Fred Astaire

6 de janeiro de 2008

Meu mais novo fundo de tela

http://www.madmeg.org/elements/fondecran/arbreXL.jpg


E so um update muito bom: comprei "Os Sete Suspeitos" em DVD!

Salvador, que calor!


IMG_5436, originally uploaded by lorisgirl.

Passei o Ano Novo em Salvador, num calor incrivel. A comida estava otima e as pessoas sao maravilhosas. Tem fotos no Flickr.