Problemas domésticos e nerdices

31 de janeiro de 2008

Quando se segue as regras da vida

Eu sou fã de manuais. Comprei uma linda camera nova (Pentax K10d) e, claro, antes de qualquer operaçao mais elaborada (claro que tirei uma foto assim que abri a caixa!), eu li o manual de cabo a rabo.

Primeiro, porque eu tou me cagando de medo de estragar esse investimento. Porque camera de 1500 reais nao é so uma camera, é um investimento. Segundo, porque toda a ideia de comprar uma reflex digital se baseia em querer tirar fotos melhores. E tirar fotos melhores, nesse caso, se baseia em usar os recursos que a camera disponibiliza. A outra camera ja nao dava mais conta do recado, ou leia-se, da criatividade exarcebada que eu tenho.

Mas uma coisa era certa ate segunda-feira passada. Eu nunca tinha lido as instruçoes do frasco de condicionador.

Ok, talvez eu ja tivesse lido, mas nunca levei a serio.



Eu sempre reclamei do meu cabelo. Sempre a velha historia: quem tem cabelo liso quer cacheados, quem tem cacheados, quer lisos. E quem tem cabelo dificil sonha com um produto que resolva todos os problemas do universo. Nao sou diferente.

Eu tenho um historico muito complexo com condicionadores. Ate uns dois anos atras, eu achava que condicionador era desnecessario, que deixava o cabelo pesado e gosmento. Meu negocio eram os leave-in, pos-banho, sem enxague, fazedores de cachos.

Meu cabelo sempre ficou ou palha ou gosmento.

Ha uns dois anos eu resolvi que usar condicionador era na verdade uma ajuda ao meu cabelo. Comecei a usar, em conjunto com o leave-in. Tudo em quantidades extremamente parcimoniosas. Tinha medo absoluto de melar meu cabelo e parecer que nao lavei nada. Entao meu cabelo virava cabelo de milho, de tao seco.

E, com isso tudo, eu passei muito tempo pulando de hidrataçao para hidrataçao, gastando os tubos no cabeleireiro, tentando deixar meus cabelitos sedosos como os de comercial. E nada adiantava 100%. Fazia uma hdirataçao, mas duas lavagens depois, meu cabelo voltava a ser uma caca dificil de cuidar.

Um dia, comprei o tal Elseve Volume Control. Ele promete 18h de hidrataçao e cabelo no lugar. Comprei o shampoo e o leave-in.

Nao sei se voce esta esperando um comercial nesse ponto da historia, mas a verdade é que nao adiantou de nada. Foi so mais um shampoo que eu gastei dinheiro com.

Vai dai que, um certo dia, ha nao mais que uma semana (calma, o apice da historia ja vem), eu resolvi, em nome da ecologia e da economia de recursos naturais, fazer algo que nunca tinha feito: desligar a agua enquanto lavava o cabelo.

Eu tomo banho de maneira muito regrada, para que dure o minimo possivel: entro, molho o cabelo, passo shampoo, tiro shampoo. Passo condicionador e enquanto ele age, eu tomo o banho propriamente dito. Cinco minutos para todo o processo e mais dois pra tirar o condicionador.

Nesse dia abençoado em que resolvi desligar o chuveiro, eu demorei mais que o normal. Como a agua estava desligada, nao me senti culpada de passar mais alguns minutos no chuveiro, lavando o corpo com sabonete, depois passando oleo hidratante, toda essa historia magia e perfumada. Com isso, o condicionador ficou no cabelo os tres minutos proverbiais.

Quando sai do banho e sequei o cabelo, processo regular de passar hidratante no corpo, leave-in no cabelo, make-up and all, notei que estava facinho de pentear. E isso nao é pouca coisa quando se tem um cabelo como o meu. Fui embora.

Sai na rua, cabelos ao vento, o que é sempre um grande desastre pra mim. Cheguei no trabalho, cachos formando. Secou-se o cabelo e a grande surpresa: cabelos no lugar, cachos lisinhos (a compreensao do que sao cachos lisos so é possivel para quem tem cabelo cacheado)!

Passada, sem entender, so achei que era um good hair day. Fiquei na boa.

Dia seguinte, mesmo processo, mesmo cabelo. Dia proximo, processo de urgencia, cabelo antigo.

Como Arquimedes na banheira, eu no meu chuveiro, no dia seguinte, gritei comigo mesma. "Eureka! O condicionador!"

Claro, é obvio, dirao alguns. Pra mim, passava longe do obvio. Nunca achei que condicionador resolvesse nada.

Agora, eu ando com os cabelos ao vento, cacheados e esvoaçantes, fazendo inveja em quem tem cabelo liso, sem ficar falando "ah, mas eu queria mesmo era ter cabelo como o seu...". Se eu falar isso, hoje, é por educaçao. Amo meu cabelo.

E tudo porque eu SEGUI AS INSTRUÇOES DA EMBALAGEM.

Consulte sempre o manual de instruçoes.

2 comentários:

Eloi disse...

Clássico exemplo de RTFM. Se todo mundo RTFM, o mundo seria um lugar melhor pra se viver...

RTFM - Read The Fucking Manual

Laura disse...

é isso mesmo, lói!