Problemas domésticos e nerdices

8 de agosto de 2007

Fim dos vídeos

Acabou. Foi um surto temporário.

Agora, uma divagação extremamente intelectualizada e contemporânea, em compasso com os mais recentes desenvolvimentos da sociedade e do pensamento niilista.

Por que, oh, por que, ninguém nunca está feliz?

Eu estou infeliz porque gostaria de um relacionamento sério.

Meus amigos são infelizes porque estão num relacionamento sério, mas gostariam de estar livres pra agarrar quem passasse na frente.

Meus gatos estão infelizes porque eu troquei a marca da ração.

Veja bem, a outra custava quase o dobro.

O que é preciso para que todos se dêem bem e para que todos possam ter o que querem sem irritar os outros, sem precisar encher o saco?

Meu primeiro impulso foi: não há uma distribuição justa de plástico-bolha no país. Claro, isso resolveria 85% do problema. Mas e os outros 15%?

Então me ocorreu. Era tão óbvio, mas eu não percebi antes. Estava na minha frente.

A televisão.

Se eu passasse todo o tempo que gostaria na frente da televisão, não teria tempo de me preocupar e ser infeliz. Nem de magoar pessoas ou ser obtusa, esquecer aniversários, coisas dessa ordem. Ninguém teria.


Agora, se ao menos eu conseguisse um meio de não ter que sair de casa e poder deixar a TV ligada no Scrubs o dia todo...

Um comentário:

Lello disse...

Eu não sei se estou feliz ou infeliz por não ter um relacionamento sério. Mas também não sei se estou feliz ou infeliz por estar livre para agarrar quem passe pela frente. Só sei que Scrubs é mó chatão. Seinfeld é muito melhor!! Bjs!